Espaço Ubunto

Espaço Ubunto

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Companheiras e Companheiros,

A partir do Fórum Social das Resistências, realizado em janeiro deste ano, em Porto Alegre, iniciamos as tratativas para a realização de um FSM em Salvador, em 2018. Foram realizadas várias plenárias em Salvador e São Paulo no sentido de acordar os termos, datas e propósitos.

Frente a atual conjuntura, é inequívoco que precisamos multiplicar momentos de reflexão e articulação política no sentido de buscarmos a unidade necessária para o enfrentamento deste novo ciclo histórico que se abriu, com viés autoritário e uma agenda contra os direitos humanos e sociais.

Neste sentido, segue um Informe Geral do processo do FSM 2018 em Salvador e um CONVITE ESPECIAL para que nossas organizações discutam sua participação no processo de construção deste FSM e, desde já, componha o Coletivo Brasileiro do FSM 2018.

Nos próximos dias iremos lançar o site provisório do evento e um Concurso Público para a escolha da logomarca.

Sigamos em contato.

Mauri Cruz
Diretoria Executiva da Abong
Equipe CAMP - Escola de Cidadania
WhatsApp +55 (51) 981.336500




#RafaelBragaLivre

sábado, 29 de abril de 2017

Estivemos no dia de ontem, 28/04, juntamente com Companheiros/as de diversas Centrais Sindicais, apoiando os trabalhadores/as de inúmeras categorias na luta contra os retrocessos nos direitos trabalhistas que querem serem impostos pelo desgoverno do governo golpista de Michel Temer e da bancada de empresários no Congresso Nacional.
Estão de parabéns os Trabalhadores/as, de todas as categorias, que no dia de ontem, deram o recado a quem quer lhes tirar direitos. O Brasil parou e parou porque os trabalhadores fizeram com que o Brasil parasse.
O dia de ontem foi um recado a todos aqueles que pensam que podem tirar direitos dos trabalhadores, sem ter troco e resposta a altura.

No dia 02/05, o Brasil volta a sua normalidade, mas não pensem os golpistas e vendedores do país que o povo não estará de olho no que vai acontecer na Câmara Federal na próxima quarta-feira, dia 03/05.
Tentem tirar nossos direito e verão que a resposta será maior.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Chimarriando na Praça

Tá chegando o "Chimarriando na Praça, contra a corrupção e pela Transparência Pública em Eldorado do Sul".

Se agende e vamos conversar em rodas de amigos, vizinhos e conhecidos, sobre assuntos e temas de interesse da cidade como: Saúde, Educação, Habitação, Segurança Pública, Cultura, Meio Ambiente, Transporte Urbano, Acessibilidade, e outros assuntos de seu interesse.

Venha compartilhar suas preocupações com pessoas, que, que nem você, querem um Eldorado do Sul melhor para os eldoradenses.

Pois também é direito seu cidadão, saber onde o Executivo e o Legislativo aplicam as verbas públicas de nossa cidade.

O "Chimarriando na Praça" é um Projeto Pluri e Supra partidário, onde todos estão convidados a participar, pois a cidade é de Todos Nós.

Adquira sua camiseta e ajude a difundir essa ideia.



quinta-feira, 9 de março de 2017

Salve Companheiros e Companheiras de muitas caminhadas e resistência, na busca da efetiva aplicação da Lei 10.639/03 (Art. 26-A) em nosso Estado do Rio Grande do Sul e no Brasil.


Na próxima segunda-feira, (13), teremos uma reunião com o Departamento Pedagógico da SEDUC, que pretende discutir o lançamento e divulgação do PLANO ESTADUAL DE IMPLEMENTAÇÃO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E PARA O ENSINO DAS HISTÓRIAS E CULTURAS DOS AFRO-BRASILEIROS, AFRICANOS E DOS POVOS INDÍGENAS.


Tudo isso é fruto da pressão coletiva dos educadores e militantes da questão racial do nosso Estado, que mesmo que as forças contrarias a essa implementação desta política, tivessem espaços nos órgãos de gestão do Estado e dos Municípios, não desistiram de continuar na luta.


Nessa reunião estarão presentes, além da SEDUC e de representação do Fórum Permanente de Educação e Diversidade Etnicorracial do RS, representandos da PGE, TCE, MPE e Assembleia Legislativa.


Agora será o momento de somarmos forças, independente de sua militância partidário ou não, para termos o apoio do Governo do Estado e do Parlamento do RS, para que isso se torne lei a ser cumprida em todas as Escolas, publicas e privadas, em nosso Estado.


Precisa ampliar a nossa convergência e unidade.


Sejamos Ubuntu.


Sawabona.


José Antonio dos Santos da Silva.
Coord. do Fórum Permanente de Educação e
Diversidade Etnicorracial do RS.


sexta-feira, 3 de março de 2017

Olha que legal este texto:
Antigamente se ensinava e cobrava
Tabuada,
Caligrafia,
Redação...
Havia aulas de
Educação Física,
Moral e Cívica,
Práticas Agrícolas,
Práticas Industriais,Cantava-se o Hino Nacional, hasteando a Bandeira Nacional pelo menos uma vez por semana...
Leiam o relato de uma 
Professora de Matemática:
Semana passada, comprei um produto que custou R$ 15,80.
Dei à balconista
R$ 20,00
e peguei na minha bolsa
80 centavos, para evitar receber ainda mais moedas.
A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer.
Tentei explicar que ela tinha que me dar 5,00 reais de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la. Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender.
Por que estou contando isso? Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi assim:
1. Ensino de matemática em 1950: 
Um lenhador vende um carro de lenha por
R$ 100,00. O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda. Qual é o lucro?
2. Ensino de matemática em 1970: 
Um lenhador vende um carro de lenha por
R$ 100,00. O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou
R$ 80,00. Qual é o lucro?
3. Ensino de matemática em 1980: 
Um lenhador vende um carro de lenha por
R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Qual é o lucro?
4. Ensino de matemática em 1990: 
Um lenhador vende um carro de lenha por
R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( )R$ 20,00
( )R$ 40,00
( )R$ 60,00
( )R$ 80,00
( )R$ 100,00
5. Ensino de matemática em 2000: 
Um lenhador vende um carro de lenha por
R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. O lucro é de R$ 20,00. Está certo?
( )SIM
( ) NÃO
6. Ensino de matemática em 2009: 
Um lenhador vende um carro de lenha por
R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
( )R$ 20,00
( )R$ 40,00
( )R$ 60,00
( )R$ 80,00
( )R$ 100,00
7. Em 2015....: 
Um lenhador vende um carro de lenha por
R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
(Ou marque qualquer coisa, já que não posso te reprovar mesmo)
( )R$ 20,00
( )R$ 40,00
( )R$ 60,00
( )R$ 80,00
( )R$ 100,00
(...)
E se um moleque resolver pichar a sala de aula e a professora fizer com que ele pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos pois a professora provocou traumas na criança.
Todo mundo está 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...
Quando é que se 'pensará' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"
Passe adiante! Se vc acha viável.
Isso não é corrente!!
Precisamos começar JÁ! Ou corremos o sério risco de largarmos o mundo para um bando de analfabetos, egocêntricos, alienados e dependentes químicos com a cultura de homens da caverna.


quinta-feira, 2 de março de 2017

Engana-se quem pensa ou diz que, ao cobrarmos transparência nos atos dos governantes e dos legisladores, estamos querendo gerar o caos social.
Quando elegemos um Prefeito ou um Vereador, esperamos que eles se tornem legisladores e administradores de uma cidade, não de um Bairro ou de um pequeno grupo que lhes apoiaram, até porque, se o eleito fizer um bom trabalho a tendência e ampliar o seu numero de apoiadores.
Em 2016, num universo de 25.742 eleitores aptos a eleger e ser eleitos, tivemos 06 candidatos a Prefeito e 118 candidatos a vereadores, em nossa Eldorado do Sul, por tanto, um foi eleito Prefeito, com 48,03% (9.074 votos) e 09 foram eleitos vereadores com 32,69% (6.437 votos) dos votos validos na cidade.
Diante do exposto, mais de 50% do eleitorado, sem incluir os 17,04% (4.387) que se abstiveram e os 9% (2.461) brancos e nulos, uma media de 26,60% de eleitores que não votarem nem nos candidatos a Prefeito e nem nos candidatos a vereador.
Bem, quando 1/3 do eleitorado deixa de confiar nos candidatos a parlamentar em sua cidade, isso deveria ser sinal de preocupação, tanto para os eleitos, quanto para os que não se elegeram, até com uma pequena margem de votos, pois é sinal que é preciso uma maior presença política dos potenciais candidatos na vida política da cidade.
Mas isso é sinal da forma que a cidade e administrada, pois, por parte dos eleitos e preciso evitar que mais pessoas participem da vida pública, e para isso se utilizam do artifício de não dar transparência aos atos do Executivo e do Legislativo e transformando o assistencialismo a política de controle da sociedade.
Quando um cidadão procura cobrar transparência dos atos das administrações ele é transformado em inimigo número um da cidade, até porque, quem cobra os seus direitos e os direitos dos outros e chamado de chato.
Mas você cidadão e cidadã de bem não deve se abater por isso, pois se somos contra a corrupção, não podemos deixar o Executivo e o Legislativo se transformar num cabide de emprego, onde a folha de pagamento supera em mais de 55% o que é recolhido de impostos na cidade e com isso não se tendo investimento em saneamento básico, educação, cultura, lazer, limpeza pública, urbanização e etc.
Cobre os seus direitos e antes de fazer comentários dizendo que quem cobra transparência e chato, veja o que com seu silencio ou apoio e desviado com a corrupção.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Hoje, 02 de janeiro de 2017, primeiro dia útil de trabalho para os 5.570 prefeitos e presidentes de câmaras municipais, pelo país a fora. No país, 145 prefeitos e desses 07 no RS, não puderam assumir seus mandatos, por problemas com a justiça eleitoral.
Esses serão substituídos pelos presidentes das câmaras municipais e dependendo da decisão dos TREs, nesses municípios poderá acontecer novas eleições.
Majoritariamente, diante e registrado por muitas câmeras, os prefeitos e vereadores, assumiram seus mandatos, nesse dia 1º de janeiro de 2017, com discursos de “austeridade, controle dos gastos públicos, respeito ao cidadão e transparência pública”, pois é isso que se espera dos gestores públicos e de seus legisladores. Mas infelizmente sabemos que muitos não passam do discurso, pois logo logo ali na arrancada, começam os ajustes e acertos com os financiadores de suas campanhas.
Muitos desses parlamentares, figurinhas já conhecidas pela sociedade e principalmente pela justiça, pois muitos deles já responderam e respondem por processos na justiça por mal versação de verbas públicas e por nepotismo, hoje se apresentam com uma nova roupagem, mas com a pratica do velho discurso.
Eldorado do Sul não se diferencia desse discurso e nem dessas práticas, pois a composição do Executivo e do Legislativo e bem conhecida pela comunidade.
Mas no momento vivido pelo país, pelos estados e pelos municípios, de combate a corrupção e de maior controle sobre os investimentos das verbas públicas, esperamos ter uma cidade com seus munícipes mais atentos com os custos da folha de pagamento e com os gastos em investimentos, que não trazem nenhuma benfeitoria a cidade e só geram gastos ao erário público.
Com certeza, em nossa Eldorado do Sul, veremos muitos setores se movimentando para ocuparem os espaços que deveriam e devem fazer o controle e a representação da sociedade, que são os conselhos de direito. Conselhos esses que não ultimas gestões sempre foram ocupados pelas mesmas pessoas e que de controle público nada se sabia.
Por fim, desejamos que os cidadãos e cidadãs de boa fé dessa cidade, Eldorado do Sul, se empenhem para que o Executivo e o Legislativo municipal, cumpram a Lei 12.527/2011 que regula o acesso a informações previstas no inciso XXXIII do art. 5º, no inciso II do § 3º do art. 37 e no § 2º do art. 216 da Constituição Federal e as Resoluções aprovadas na primeira Conferência Municipal, Estadual e Nacional de Transparência Pública, realizadas no ano de 2012.
Pois controle social com cidadania, só com combate a corrupção e com a participação cidadã e com um judiciário mais atento e participativo.
José Antonio dos Santos da Silva
Acadêmico de Direito.


terça-feira, 15 de novembro de 2016

Seminário: Desafios da Educação Básica

CONVITE

Convidamos Vossa Senhoria para participar do Seminário 'Desafios da Educação Básica a ser realizado no dia 21 de novembro, segunda-feira, às 13h30min, na Sala João Neves da Fontoura - Plenarinho, 3º andar do Palácio Farroupilha (Praça Marechal Deodoro, nº 101 – Centro Histórico), em Porto Alegre.
Maiores informações podem ser obtidas pelo fone (51) 3210-2096. Solicitamos confirmação de presença, informando nome e entidade/órgão, pelo e-mail: cecdct@al.rs.gov.br

Deputado TIAGO SIMON,
Presidente.



sábado, 15 de outubro de 2016



Assinem a petição e ajudem a divulgá-la, por favor!

"Dia do professor também é dia de luta! 
Junte-se a nós contra a Lei da Mordaça!"


"O Escola Sem Partido é uma proposta de lei que persegue professores. Qualquer tema polêmico levantado em sala de aula, mesmo que relacionado à matéria, pode ser considerado "doutrinação" e ocasionar na suspensão do professor. Como garantir uma educação de qualidade num ambiente de censura? Entra no site http://bit.ly/escoladiversa, preencha teus dados e assina a nossa petição a favor de uma escola sem mordaça!"

quarta-feira, 7 de setembro de 2016



MANIFESTO FRENTE GAÚCHA ESCOLA SEM MORDAÇA
A Frente Gaúcha Escola sem Mordaça, composta por entidades representativas de educadores e educadoras, estudantes, comunidade escolar, profissionais atuantes na cultura, na pesquisa, na comunicação, no direito, em ações comunitárias e por movimentos sociais, constitui-se como um espaço coletivo suprapartidário e plural, em defesa da democracia e da justiça social, repudiando os projetos de lei Escola sem Partido, a terceirização e a privatização da Educação Pública.
A Frente considera fundamental o processo de escolarização da população brasileira, intensificado a partir da democratização do país, e posiciona-se em defesa das conquistas dos movimentos sociais inscritas na Constituição Federal de 1988 e na legislação subsequente, e que visam reparar um processo histórico socialmente excludente, bem como prevenir a violação aos direitos humanos.
A Frente defende a manutenção e o respeito à Constituição Federal, que em seu Art. 5º garante a liberdade de expressão e no Art. 206 estabelece, dentre outros, os seguintes princípios para a Educação no país: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber; III - pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino. Defende-se também o cumprimento integral do Art. 53 do Estatuto da Criança e do Adolescente, que prevê que “a criança e o adolescente têm direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho”. Além disso, propõe a consolidação de processos educacionais democráticos que incluem:
·     a liberdade de expressão dos professores, dos servidores e dos estudantes no ambiente escolar e no espaço público;
·     o estudo de temas relacionados às desigualdades socioeconômicas, à sustentabilidade socioambiental e às violações dos direitos humanos, tais como as discriminações e violências étnico-raciais e de gênero;
·     a implantação e a ampliação de políticas de ações afirmativas para a promoção da equidade étnico-racial e de gênero nas instituições de ensino e na sociedade;
·     o oferecimento de matérias científicas associadas à saúde sexual e reprodutiva, bem como à evolução biológica, de forma a promover o conhecimento necessário à sustentabilidade socioambiental e à transformação de uma realidade desigual, injusta e excludente;
·     uma escola pública, gratuita e laica, bem equipada e com equipe profissional capaz de promover o desenvolvimento pleno dos educandos, aprendizagens, acesso ao patrimônio científico-cultural e tecnológico, bem como o exercício pleno da cidadania;
·     a constituição de ambiente de respeito mútuo e de promoção de relações interpessoais de confiança visando a saúde nas instituições educacionais;
·     a gestão democrática das instituições de ensino por meio de eleição das equipes diretivas pelas comunidades de professores, servidores, estudantes e seus responsáveis.
A Frente Gaúcha Escola sem Mordaça adere à luta da Frente Nacional Escola sem Mordaça, que repudia e solicita o arquivamento de projetos de lei no Senado Federal e na Câmara dos Deputados, protocolados por defensores do Movimento Escola sem Partido:  Projeto de Lei nº 7.180/2014 (e demais projetos a ele apensados) e do  Projeto de Lei do Senado nº 193/2016; Projeto de Lei nº 1.411/2015, que tipifica assédio ideológico. Na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, a Frente Gaúcha Escola sem Mordaça solicita o arquivamento do  Projeto de Lei nº 190/2015, que representa no Estado o programa Escola sem Partido; solicita também o arquivamento dos projetos municipais correlatos.
Tais projetos de lei, inconstitucionais, buscam produzir uma escola sem reflexão crítica sobre a realidade, impedir a formação para a cidadania e a liberdade de expressão no exercício profissional, incentivando a delação anônima de professores por estudantes e familiares e a coação por meio de notificações extrajudiciais, que ameaçam os docentes com processos de perda do direito ao exercício profissional, perda patrimonial e prisão. Esses projetos pretendem constituir uma única forma de pensar, impedindo a pluralidade de ideias própria à educação pública.
EDUCAÇÃO PLURAL NA CONSTRUÇÃO DA DEMOCRACIA